Sábado, 05 Março 2016 15:42

Mutirão de limpeza mobiliza secretarias e escolas em Arrozal Destaque

As Secretarias de Saúde, Meio Ambiente, Serviços Públicos e Educação se uniram na manhã deste sábado (5), Dia Estadual de Combate à Microcefalia, para mutirão de limpeza e orientação de combate ao Aedes aegypti em Arrozal. De acordo com o secretário de Serviços Públicos, Ricardo Torres, 45 toneladas de materiais inservíveis e entulhos foram coletados. O distrito apresenta o maior índice de notificação de dengue do município, 148 do total de 314, desde o início do ano.

Estiveram presentes na ação o prefeito, Dr. Luiz Antonio; o vice-prefeito, Chiquinho Perota; as secretárias de Saúde, Conceição Rocha; Educação, Sandra Simões; Assistência Social, Heloísa Machado; e os secretários de Serviços Púbicos, Ricardo Torres; Obras, Roberto Borges; Transporte e Trânsito, Marcelo Magalhães; Esporte, Waldomir Werneck; e Desenvolvimento Econômico, Janir Júnior.

O mutirão deste sábado teve como principais objetivos, segundo Dr. Luiz Antonio, mobilizar a população e limpar terrenos baldios e locais públicos. "Os nossos objetivos hoje foram de mobilizar a sociedade para que a ação de remoção de focos seja efetiva. Porque todos precisam colocar a mão na massa", frisou o prefeito.

Na sexta-feira (4), as repartições públicas também receberam atenção especial para limpeza a fim de combater focos do Aedes aegypti.

Escolas na mobilização
Alunos da E. M. José Juarez Reis Franco e do Ciep 477 - Professora Rosa da Conceição Guedes também participaram da mobilização. Orientados pelos professores, com trabalhos desenvolvidos em sala de aula, as crianças fizeram panfletagem durante a passeata. A secretária de Educação, Sandra Simões, acredita que incluir os alunos na ação, faz com eles já entendam, e levem para casa, a ideia de que o combate ao Aedes aegypti é um compromisso de cada cidadão.

Alguns pais acompanharam a mobilização, como o técnico de refrigeração Fábio Cunha, 38, pai de duas estudantes. Ele reconhece a importância de abordar a temática com as crianças, uma vez que elas levam as orientações para casa.

"É necessário já começar a conscientizar as crianças desde pequenas. As escolas estão de parabéns, porque elas precisam enxergar a gravidade que representa a dengue e agora a zika e chikungunya. Medidas básicas, como não jogar lixo na rua, cuidar do próprio quintal, são responsabilidade de cada um e as crianças precisam dessa educação", ressaltou Fábio.

Conscientização popular
A comunidade tem recebido agentes de Saúde e de Controle de Endemias em suas residências e colaborado cada vez mais na luta contra o mosquito. Mas, segundo o supervisor da Vigilância Ambiental, Marco Antônio da Silva Pereira, há ainda muitos criadouros nos imóveis. "Reforçamos nesta ação a conscientização, orientando sobre a eliminação dos criadouros. Nosso trabalho só tem resultado se a população também fizer sua parte. Para que o número de notificações diminua, é preciso que a infestação diminua", explicou o agente.

O aposentado Francisco Belisário Filho, 67, afirmou que já teve dengue três vezes, inclusive hemorrágica. Agora, ele se preocupa não só com a sua casa, como também seus vizinhos. "Eu sei muito bem o que é ter dengue e, por isso, cuido todos os dias do meu quintal e fico de olho nos vizinhos", garantiu o morador do Loteamento Dr. Cássio, onde agentes de Saúde intensificaram visitas, uma vez que o local apresenta muitos focos.

Lido 1269 vezes