Quarta, 25 Novembro 2015 12:22

Dia Nacional do Doador de Sangue é comemorado no CEAMTEC Destaque

O Dia Nacional do Doador de Sangue foi celebrado na manhã desta quarta-feira (25), no CEAMTEC (Colégio Estadual Affonsina Mazzillo Teixeira Campos), em parceria com o Hospital Flávio Leal, através do projeto ‘Vermelho, a Cor da Vida’. O evento contou com informações acerca da doação de sangue e apresentações musicais e literárias dos alunos.

A biomédica da agência transfusional, Polyana Torres, palestrou sobre o procedimento da doação de sangue e apresentou o desenvolvimento do projeto, que acontece desde 2012. Os estudantes produziram chamadas em vídeo para sensibilizar a população para a inciativa. 

O estudante de Formação de Professor Wallace Rilson da Silva, de 22 anos, se tornou doador no ano passado, através do ‘Vermelho, a Cor da Vida’. Ele já doou cinco vezes e se sente feliz por poder salvar vidas.

“Toda vez que vou doar sangue sei que não é à toa. Uma vez me ligaram em cima da hora, porque um senhor precisava de doação, me senti muito útil e, por isso, sempre incentivo meus colegas”, contou Wallace.

Para a animadora cultural do CEAMTEC, e atuante no projeto, Terezinha da Silva Aguiar, a ‘Teka’, a mobilização dos alunos superou a expectativa. Segundo ela, o segredo para atrair os jovens é falar a linguagem deles. “Até mesmo quem não tem idade para doar, ajuda como multiplicador dessa ação e nós precisamos continuar arrumando estratégias para chegarmos até eles”, enalteceu ‘Teka’.

Panorama

Em Piraí, atualmente, há apenas 130 doadores cadastrados no Hospital Flávio Leal, de acordo com a biomédica Polyana Torres. Desses, 79 são alunos do CEAMTEC. Em 2014, foram realizadas 204 doações de sangue e neste ano, até o momento, 129. A cada mês são realizadas de 25 a 30 transfusões no município e em agosto deste ano foi preciso cancelar uma cirurgia por falta de sangue. 

"É muito importante a gente fazer esse trabalho de conscientização, uma vez que sempre precisamos de doação e não só para Piraí. Fico muito feliz quando vejo os alunos que têm menos de 16 anos querendo doar", enfatizou Polyana.

A Secretaria de Saúde disponibiliza toda sexta-feira um carro para levar doadores ao Hospital São João Batista, em Volta Redonda, onde é feita a coleta. A princípio, para ser doador, é preciso estar com boa saúde, ter entre 16 e 69 anos e pesar mais de 50 kg. O cadastro pode ser feito de segunda à sexta-feira, das 7h às 17h, no Hospital Flávio Leal.

O projeto

A parceria entre o CEAMTEC, sob a direção de Lucineia Machado, e o Hospital Flávio Leal começou em 2012 com agentes de Saúde. O projeto ‘Vermelho, a Cor da Vida’ visa buscar cada vez mais doadores de sangue, a partir da conscientização de que é possível salvar três vidas apenas com uma doação.

São ministradas três palestras anualmente para todas as turmas, até mesmo para quem ainda não tem idade para doar. Na feira da Semana de Ciência e Tecnologia, os alunos fizeram campanha e conseguiram 13 doadores voluntários. Além disso, o projeto já foi apresentado a três escolas de Volta Redonda.

Para o médico responsável técnico da agência transfusional, Dr. Ricardo Campos Passos, um projeto como esse é importante não só para a doação em si, mas também para desenvolver o espírito solidário nos alunos. "Com as informações que eles recebem sobre a doação de sangue, eles acabam melhorando socialmente. Eles acabam se afastando do uso de drogas, por exemplo, além de estimular a solidariedade", observou o médico.

 

Lido 1848 vezes