Segunda, 27 Novembro 2017 16:33

Novembro Azul: a saúde do homem em foco contra o câncer de pênis e próstata

Novembro Azul: a saúde do homem em foco contra o câncer de pênis e próstata foto: divulgação

Novembro Azul é o mês dedicado à saúde de homem e à prevenção ao câncer de próstata e de pênis. O mês pode até acabar, mas os cuidados com a saúde não, saiba mais sobre as doenças que acometem os homens, sobretudo na terceira idade.

CÂNCER DE PRÓSTATA

O câncer de próstata é o sexto tipo mais comum no mundo e o de maior incidência nos homens. As taxas da manifestação da doença são cerca de seis vezes maiores nos países desenvolvidos.

Cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem em homens com mais de 65 anos. Quando diagnosticado e tratado no início, tem os riscos de mortalidade reduzidos. No Brasil, é a quarta causa de morte por câncer e corresponde a 6% do total de óbitos por este grupo.

Prevenção                                  

A próstata é uma glândula que só o homem possui, localizada na parte baixa do abdômen. Situa-se logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. Ela produz cerca de 70% do sêmen, e representa um papel fundamental na fertilidade masculina.

Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco do câncer. Especialistas recomendam pelo menos 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

Homens a partir dos 50 anos devem procurar um posto de saúde para realizar exames de rotina. Os sintomas mais comuns do tumor são a dificuldade de urinar, frequência urinária alterada ou diminuição da força do jato da urina, dentre outros. Quem tem histórico familiar da doença deve avisar o médico, que indicará os exames necessários.

Exames

O toque retal é o teste mais utilizado e eficaz quando aliado ao exame de sangue PSA (antígeno prostático específico, na sigla em inglês), que pode identificar o aumento de uma proteína produzida pela próstata, o que seria um indício da doença. Para um diagnóstico final, é necessário analisar parte do tecido da glândula, obtida pela biópsia da próstata.

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que todos os homens com 45 anos de idade ou mais façam um exame de próstata anualmente, o que compreende o toque retal feito e o PSA. Segundo especialistas, o toque retal é considerado indispensável e não pode ser substituído pelo exame de sangue ou por qualquer outro exame, como o ultrassom, por exemplo.

Tratamento

Caso a doença seja comprovada, o médico pode indicar radioterapia, cirurgia ou até tratamento hormonal. Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento escolhido é a terapia hormonal.

A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após médico e paciente discutirem os riscos e benefícios de cada um.

CÂNCER DE PÊNIS

Muito se fala do câncer de próstata, mas esse não é o único tipo que afeta os homens: o câncer de pênis merece bastante atenção!

Em 2015, por todo o Brasil, houve 402 mortes por câncer de pênis, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA). É um tipo de câncer que é raro no mundo, mas registra incidentes no Brasil, principalmente nas regiões Norte e Nordeste e, em casos avançados pode acarretar na amputação do órgão.

O câncer de pênis é um tumor que atinge com mais frequência os homens a partir dos 50 anos, mas que pode ocorrer também em jovens e está relacionado principalmente à má higiene. Também é mais comum nos homens que não foram submetidos à circuncisão, que é a remoção do prepúcio - a pele que reveste a glande (conhecida como a “cabeça” do pênis).

Prevenção

Realizar a higiene diária com água e sabão é o principal fator, principalmente depois de relações sexuais ou masturbação. Com isso, percebemos o quão importante é ensinar as crianças desde cedo os hábitos de higienização diária e de forma adequada. Além disso, o uso de preservativo é fundamental em qualquer relação sexual, uma vez que a prática sem o uso de camisinha aumenta o risco de desenvolver a doença.

Outra maneira de se evitar a doença é a realização da cirurgia de fimose, que consiste na retirada do excesso de pele da glande. Nem sempre o homem faz a higiene corretamente e uma secreção branca produzida pelo próprio pênis, o esmegma, pode ficar acumulado ali.  

Sintomas

A manifestação mais comum é uma ferida persistente ou um aumento anormal do tecido da glande, prepúcio ou corpo do pênis. A presença de um desses sinais, somados ao esmegma, pode indicar o câncer no pênis. Além disso, o surgimento de pequenos nódulos, gânglios inguinais (ínguas na virilha), também podem ser sinais de progressão da doença. Em qualquer desses casos é importante procurar um serviço de saúde para realizar uma avaliação.

Tratamento

Como qualquer doença, quanto mais cedo for diagnosticado e iniciado o tratamento, maiores as chances de cura do câncer de pênis e para evitar o crescimento desse tipo de câncer e a posterior amputação do pênis. O tratamento depende da extensão do câncer, que pode ser realizado por cirurgia, radioterapia ou quimioterapia. A cirurgia é o tratamento mais comum e feito para controlar a doença.

Fonte: Ministério da Saúde; Inca.

Lido 87 vezes